fbpx

Green Future-AutoMagazine

O novo portal que leva até si artigos de opinião, crónicas, novidades e estreias do mundo da mobilidade sustentável

Notícias

HYVIA ‘dá corda’ ao hidrogénio

A HYVIA, marca que resulta de uma joint-venture entre o Grupo Renault e a Plug Power, desvendou o protótipo do Renault Master Van H2-TECH, um veículo de zero emissões de CO2, autonomia aumentada e tempos de reabastecimento curtos.

O protótipo Renault Master Van H2-TECH é um grande comercial para o transporte de mercadorias, com 12 m3 de volume de carga, equipado com uma pilha de combustível de 30 kW, uma bateria de 33 kWh e depósitos com capacidade para 6 kg de hidrogénio (4 depósitos de 1,5 kg). Com uma autonomia de até 500 km, estará disponível no mercado já em 2022. 

Paralelamente, a HYVIA revelou, também, o seu protótipo de Estação de Abastecimento de Hidrogénio, que oferecerá ao cliente opções convenientes de reabastecimento, onde a infraestrutura pública de hidrogénio ainda se encontre em desenvolvimento. De acordo com a marca, os reabastecimentos serão rápidos, simples e seguros.

Os 4 depósitos de hidrogénio localizam-se sobre o habitáculo.

A HYVIA vê estes protótipos como um primeiro exemplo de um ecossistema completo, incluindo a produção e distribuição de hidrogénio verde e uma gama de veículos comerciais ligeiros movidos a pilhas de combustível.

A estação de abastecimento de hidrogénio da HYVIA permitirá um tempo de abastecimento de 5 minutos, tão simples como um motor térmico, para maximizar a flexibilidade na utilização do veículo. 

A forma como esta estação funciona é simples: o hidrogénio fornecido será gerado no local, utilizando a eletrólise da água ou fornecido a granel, com recurso a semirreboques com tubos de hidrogénio. O sistema comprime o H2 em armazenamento, antes de o distribuir para o veículo quando necessário. 

A marca adianta que todos estes processos são seguros e que os seus sistemas são concebidos para cumprir todos os regulamentos e as melhores práticas. As estações de abastecimento de hidrogénio da HYVIA estarão disponíveis para compra, aluguer ou em regime de leasing.

Roupa a partir de ‘sobras’ de automóveis Hyundai

A Hyundai lançou a terceira iteração anual do Re:Style, um projeto de moda upcycling que utiliza materiais descartados durante o processo de produção dos automóveis. 

O Re:Style 2021 foi lançado em Seul e Paris em parceria com as lojas de moda L’Eclaireur e Boontheshop. A partir desta colaboração, que envolve três empresas, a Hyundai Motor pretende revelar o seu compromisso com a produção ecologicamente sustentável, colaboração externa criativa e envolvimento com os consumidores com consciência ecológica. 

Para o Re:Style deste ano, foram utilizadas sobras de materiais usados na produção de automóveis, como airbags e cintos de segurança. Adicionalmente, materiais ecológicos incorporados no Hyundai IONIQ 5, como Bio PET e fibras recicladas, também foram utilizadas na coleção, aumentando a capacidade de utilização e demonstrando o potencial de uso de biomateriais na moda.

Nas lojas online e offline da L’Eclaireur e Boontheshop, doze artigos de moda – casacos, sweatshirts, hoodies, calças curtas e calças compridas – estão à venda em quantidades limitadas. Estarão nas lojas offline durante duas semanas, de 14 a 28 de outubro, enquanto nas lojas online (leclaireur.com, sivillage.com) os artigos estarão disponíveis durante quatro semanas, até 10 de novembro.

De acordo com a Hyundai, a receita das vendas dos artigos irá contribuir para vários projetos sustentáveis da marca, com a L’Eclaireur e a BoontheShop a unirem-se a esta causa, com base num compromisso comum: a criação de um círculo virtuoso de sustentabilidade. 

Autocarros elétricos que transportarão os delegados da COP26 já estão em Glasgow

Uma frota de 22 autocarros elétricos BYD da First Bus irá transportar os delegados da Conferência de Mudanças Climáticas da ONU, COP26, em Glasgow. O anúncio foi feito pela ADL (subsidiária da fabricante líder global independente de autocarros NFI Group Inc. e pela BYD UK.

A seleção da First Bus como fornecedor oficial de transporte segue um processo de licitação executado pela Strathclyde Partnership for Transport (SPT) em nome dos governos do Reino Unido e da Escócia. O serviço de transporte fornecerá uma ligação rápida e frequente a todos os participantes do evento entre o centro da cidade e as zonas Azul e Verde no campus do evento situados na SSE Hydro e nas instalações do Scottish Exhibition & Conference Center.

O serviço será totalmente operado pela nova frota da First Glasgow de 22 autocarros Enviro200EV, totalmente elétricos e construídos na Escócia pela BYD ADL. Os novos autocarros, que foram parcialmente financiados pelo Scottish Ultra Low Emission Bus Scheme (SULEBS) da Transport Scotland, têm uma autonomia de até 240 km com carga total. 

Duncan Cameron, diretor administrativo interino da First Bus na Escócia, mostra-se muito satisfeito com a escolha da sua empresa para operar o serviço de transporte oficial da COP26. Além disto, acrescenta que a First Bus está alinhada com “as ambições do governo para um sistema de transporte neutro em carbono, incluindo frotas de autocarros de zero emissões. Já nos comprometemos a alcançar este objetivo até 2035 e estamos ansiosos para o mostrar aos delegados ao longo do evento”.

O financiamento da SULEBS visa ajudar as operadoras de autocarros a preencher a lacuna entre o custo do diesel e as frotas com emissão zero. A ambiciosa colaboração com a Transport Scotland não só ajudará o First Glasgow a substituir mais 126 dos autocarros antigos da sua frota por novos e de emissão zero, como também ajudará a transformar a estação de da Caledonia, na parte sul do centro da cidade. Relativamente ao maior entreposto do Reino Unido, o investimento permitirá que seja convertido numa das maiores estações de carregamento de frota elétrica do Reino Unido, com potencial para carregamento simutâneo de mais de 150 veículos.

Novo Bentley Bentayga Hybrid já chegou a Portugal

O Bentley Bentayga Hybrid já está disponível em Portugal e nos restantes nos mercados europeus.

Construído na fábrica totalmente neutra em carbono de Crewe, no Reino Unido, o Bentayga Hybrid “não compromete o luxo, a autonomia ou a sustentabilidade”, de acordo com o fabricante britânico.

O Bentayga Hybrid é o terceiro modelo do portfólio dos SUV de luxo da marca. A primeira geração do Bentayga Hybrid representou um em cada cinco Bentayga fabricados, e a introdução da segunda geração aumentará essa proporção, de acordo com a marca: desde o lançamento, 45% dos pedidos de Bentayga na China foram para esta versão híbrida.

Em termos de design, o Bentayga Hybrid adota o novo ADN da família Bentley. O exterior caracteriza-se por um aspeto mais moderno e cuidado, e o interior oferece uma combinação moderna com materiais de luxo, em consonância com o toque mais tradicional.

No comunicado, a marca afirma que o Bentayga Hybrid “é o primeiro passo no caminho da Bentley para ter uma oferta eletrificada em toda a linha de produtos nos próximos três anos (de que fará parte o Bentley 100% elétrico em 2025) como parte da estratégia revolucionária Beyond100”. Pode ler-se ainda que a Bentley “tornar-se-á a empresa líder mundial em mobilidade de luxo sustentável”.

O modelo híbrido está equipado com uma bateria de lítio de 17,3 kWh, constituída por 168 células individuais. A fabricante anuncia uma vida útil prevista de cerca de 160.000 quilómetros ou 8 anos, podendo ser carregadas a 100% em menos de duas horas e meia. 

Já o motor elétrico é de 94 kW (126 cv) e pode disponibilizar até 350 Nm de binário. Este está alojado na transmissão, entre a caixa de velocidades e o motor de combustão interna, e pode fornecer o binário total instantaneamente.

O Bentayga está também equipado com um motor V6 biturbo de 3,0 litros, que complementa o motor elétrico quando são solicitadas velocidades superiores a 130 km/h. Para alertar os peões do movimento do veículo, um sistema emite um som exterior a baixas velocidades.

O modo EV Drive é ideal para condução em cidade e para viagens de curta duração e oferece 27 km de autonomia elétrica, sendo acionado assim que o carro é ligado. 

O Bentayga Hybrid é proposto em Portugal a partir de 216.180 euros (preço sem extras, despesas de transporte, preparação e legalização).

Leasys apresenta a sua estratégia de eletrificação

A Leasys, marca do grupo Stellantis e subsidiária do FCA Bank, divulgou, recentemente, a sua estratégia de eletrificação, comprometendo-se a tornar a sua oferta de mobilidade totalmente elétrica, flexível e favorável ao meio ambiente. 

A Leasys pretende que, em 2024, a frota de curto prazo seja 75% elétrica e híbrida plug-in, ambicionando os 100% até o final de 2027, com uma frota total de mais de 500.000 veículos dedicados a aluguer de longo, médio e curto prazo. 

Em conformidade com estes objetivos e como forma de assegurar a sua concretização, dentro de três anos os 1.000 pontos de carregamento rápido, atualmente existentes na Europa irão triplicar, atingindo um total de mais de 3.000 nos 12 países onde a Leasys está presente: Áustria, Bélgica, Dinamarca, França, Alemanha, Grécia, Itália, Holanda, Polónia, Portugal, Reino Unido e Espanha.

A nova estratégia de eletrificação desdobrar-se-á também ao nível do serviço, com a oferta de várias soluções de mobilidade, concebidas para promover a adoção de veículos com emissões zero sem o peso da propriedade. Essas soluções vão desde CarCloud, Leasys Miles, Leasys Unlimited que permite quilómetros ilimitados, bem como recargas ilimitadas nas Leasys Mobility Stores, e o LeasysGO!, serviço de partilha de carros da empresa atualmente em operação apenas em Itália, mas que será lançado em França no final de 2021 e em Espanha no ano seguinte.

De acordo com a Leasys, todas estas soluções foram projetadas e implementadas para promover o conhecimento dos clientes com a mobilidade elétrica, reduzindo as barreiras de entrada em termos de logística, flexibilidade e custos.

Finalmente, a ‘revolução da mobilidade’ também teve um impacto significativo na frente financeira. Em julho, a Leasys colocou no mercado um Título Verde de 500 milhões de euros, com vencimento em julho de 2024 e um cupão de taxa fixa de 0,00 por cento. Este Título já angariou 2,3 mil milhões de euros, distribuídos por 129 investidores. Os recursos angariados serão utilizados para financiar a expansão da frota de veículos de baixas emissões da Leasys, bem como a sua rede de pontos de carregamento rápido.

Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico já tem programa

A 5ª edição do Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico acontece já no próximo fim de semana, entre os dias 22, 23 e 24 de outubro, e o programa do certame já foi divulgado.

Este ano, paralelamente à exposição dos modelos elétricos e híbridos mais recentes das diferentes marcas e de algumas estreias nacionais, acontecerão seminários ao longo dos três dias, com especialistas nas mais diversas áreas da mobilidade sustentável.

No primeiro dia do evento, sexta-feira, às 10h, tem lugar a Sessão de Abertura, com a presença de João Pedro Matos Fernandes, Ministro do Ambiente e da Ação Climática. Segue-se uma conferência com Stefan Carsten, especialista nas áreas do futuro das cidades e da mobilidade, com o tema ‘Geração Z – A Geração da Mobilidade’.

Ainda durante a tarde do primeiro dia do evento, José Couto (Presidente da AFIA), Manuel Reis (UVE), Maria Helena Braga (Investigadora e Docente na FEUP) e Rui Vieira (Responsável da área de Mobilidade Elétrica da Galp) discutem, numa Mesa Redonda, a visão sobre a mobilidade elétrica, uma iniciativa da Sociedade Comercial C. Santos.

E, porque cada vez se fala mais em hidrogénio e no seu potencial verde, Marc Amblard (Senior Executive & Strategic Advisor on the Mobility Revolution), Diogo Almeida (Hydrogen – Head of Business Development at Galp) e Pedro Guedes de Campos (Fuell Cell & Hydrogen Joint Undertaking) participarão numa discussão sobre o tema, que terá lugar pelas 17h. 

Ao longo dos dias seguintes, sábado e domingo, haverá também fóruns dedicados à temática da mobilidade sustentável, iniciativas que contarão com a participação da UVE – Associação dos Utilizadores de Veículos Elétricos, Sociedade Comercial C. Santos, entre outros. 

O programa completo pode ser consultado no site do Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico

Bus2Bus – primeira paragem: Portugal

A próxima edição da Feira Profissional para a Indústria dos Transportes Rodoviários de Passageiros – Bus2Bus –acontecerá apenas em 2022, mas até lá será feito um roadshow digital pela Europa, e a primeira paragem é em Portugal.

O painel internacional de participantes discutirá “Como queremos viajar de autocarro no futuro?” e ainda como se pode melhorar a imagem e a sensibilização deste meio de transporte sustentável. Será, também, explorada a forma como o design de interiores e o recurso a novos materiais e tecnologias podem mudar a imagem do autocarro, tornando-o mais atraente ao público. 

Entre os membros da m,esa Redonda encontra-se a jornalista da GreenFuture AutoMagazine, Sofia Ferreira, em conjunto com Luca Bortolani, Business Development Manager, da Twiliner AG, José Rui Marcelino, CEO & Design Manager, da Almadesign, Paulo Lourenço Marques, CTO da CaetanoBus, Mark Pfeiffer, Diretor de Mercado, Lantal Textiles AG, com moderação de Kerstin Kube-Erkens, Senior Product Manager Bus2Bus. 

O evento terá lugar esta sexta-feira, 15 de outubro, pelas 10:30, hora de Lisboa.

Hyundai e Shell juntas para alargar infraestrutura de hidrogénio

A Hyundai e a Shell uniram-se numa parceria com o objetivo de expandir a infraestrutura de hidrogénio da Califórnia, em apoio ao crossover de célula de combustível Nexo.

Sob um acordo denominado ‘Projeto Neptuno’, o departamento de infraestrutura de hidrogénio da Shell construirá 48 novas estações e atualizará duas estações existentes no estado norte-americano, de acordo com um comunicado à imprensa da Hyundai. O desenvolvimento começará ainda este ano e, como parte do acordo, a fabricante comprometeu-se com o crescimento das vendas de veículos a hidrogénio para apoiar a expansão da infraestrutura.

A infraestrutura tem sido o principal obstáculo para a adoção de veículos a célula de combustível, mas expandir o número de estações tem-se mostrado mais difícil do que construir novas estações de carregamento para veículos elétricos a bateria.

Dispensar hidrogénio a uma pressão de 70 MPa tem sido o padrão para veículos de passageiros por mais de uma década, mas as estações capazes de reabastecer com essa pressão tem um custo aproximado 2 milhões de dólares.

Um relatório recente projetou 100 estações da Califórnia até o final de 2023 – mas apontou a incapacidade da indústria para cumprir as suas metas nesta área.

A Hyundai, no entanto, permanece otimista sobre o futuro do hidrogénio. No início deste ano, a empresa revelou uma visão ampla abrangendo carros desportivos e drones de carga. Também visa a paridade de preços com veículos elétricos a bateria até 2030.

Veículos comerciais pesados movidos a hidrogénio também entram nos planos do fabricante, juntando-se, recentemente, a outra partes interessadas para definir o padrão de reabastecimento para esse tipo de veículos.

A Califórnia planeia ter 200 postos de abastecimento para 70.000 camiões ​​a hidrogénio, até 2035. Alguns desses camiões serão utilizados pela Hyundai em programas piloto.

Mazda MX-30 com nova versão Advantage

Lançado no mercado nacional há precisamente um ano, o SUV MX-30, o primeiro modelo 100 por cento eléctrico da Mazda, registou uma enorme aceitação, levando a que se esgotasse rapidamente a então versão de lançamento First Edition, proposta limitada em número de unidades e com equipamento específico. Doze meses depois, a Mazda volta a dotar a gama com um novo reforço, denominado MX-30 Advantage, também em versão limitada e com conteúdos exclusivos que pode ser adquirida através de uma campanha de financiamento para um valor de 25.990 euros (preço chave-na-mão). 

A nova proposta Mazda MX-30 Advantage é alvo de uma dotação específica de conteúdos. Do seu equipamento destacam-se, entre outros, as jantes de liga leve de 18 polegadas brilhantes, Adaptive LED Headlights (inclui luzes diurnas DRL e luzes de assinatura), vidros traseiros escurecidos e retrovisores exteriores também aquecidos, com recolhimento automático e memória. 

Ao nível da composição de interiores cabe ao cliente a escolha, sem custo, entre estofos Modern Confidence ou Vintage Leatherette, completando-se a dotação com bancos dianteiros aquecidos e eléctricos, tendo o do condutor 8 posições e ainda regulação lombar e memória da posição de condução. Em termos de cores, a edição limitada MX-30 Advantage pode ser adquirida nos tons Machine Grey e Ceramic, conjugadas com qualquer dos dois interiores, acrescendo, a carroçaria em Preto para o SUV MX-30 com composição Vintage Leatherette.

De destacar as vantagens em termos de fiscalidade nacional, no domínio da Tributação Autónoma que está subjacente aos modelos 100 por centro eléctricos (EV), nomeadamente, a isenção do pagamento de ISV para os clientes particulares e empresariais, ou ainda, especificamente para empresas, a dedução do IVA e a possibilidade de amortização a 100% do IRC. Neste particular, o novo Mazda MX-30 Advantage poderá atingir um valor real de 21.130 euros com campanha de financiamento.

Projeto de mobilidade no Médio Tejo finalista em concurso europeu

O projeto Transporte a Pedido, criado e desenvolvido pela Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo, e apoiado pela política de coesão da UE, faz parte da lista dos 25 finalistas aos prémios Regiostars 2021 da Comissão Europeia, concorrendo na categoria de Topic of the Year: Enhancing Green Mobility in the Regions: European Year of Rail 2021. Os vencedores serão conhecidos a 2 de dezembro, em Dubrovnik, na Croácia.  

À semelhança do transporte coletivo regular, o Transporte a Pedido tem circuitos, paragens e horários definidos, distinguindo-se contudo pelo facto de a viagem ser desencadeada pelo utilizador, efetuando o seu pedido junto da central de reservas, por telefone ou online. Deste modo, as viaturas só efetuam os percursos se, antecipadamente, o serviço tiver sido solicitado e só vão às paragens que tiverem reservas, o que contribui igualmente para uma gestão mais sustentável das viagens.

O Transporte a Pedido foi criado em 2013 no concelho de Mação, enquanto projeto-piloto desenvolvido em algumas das freguesias do concelho, de forma a responder à necessidade de criar mais soluções de transportes nas zonas de baixa densidade populacional do interior do país, cuja rede de transportes públicos regular é escassa. Esta é uma solução que visa garantir de forma complementar o direito básico dos cidadãos à mobilidade e o acesso das populações aos serviços essenciais.

Este serviço, que beneficia atualmente mais de 214 mil habitantes, cobre mais de 70 circuitos em 13 concelhos – Abrantes, Alcanena, Constância, Entroncamento, Ferreira do Zêzere, Mação, Ourém, Sardoal, Sertã, Tomar, Torres Novas, Vila de Rei e Vila Nova da Barquinha – e tem mais de 1.300 paragens, tendo já provado a sua sustentabilidade económica e ambiental. Graças ao sucesso que alcançou já foi replicado nas regiões de Coimbra e do Alentejo.

“Termos sido escolhidos entre 214 candidatos oriundos de todos os países da UE e sermos o único projeto português incluído na lista dos 25 finalistas é para nós um motivo de grande orgulho. Representarmos o nosso país nesta final com um projeto que promove a inclusão social dos cidadãos residentes nas zonas mais interiores de Portugal, de fraca densidade populacional e onde a rede de transportes públicos regulares chega de forma residual, espelha igualmente reconhecimento do valor do trabalho que vimos fazendo desde 2013. O Transporte a Pedido é um complemento à rede pública regular e o nosso esforço é o de não deixarmos ninguém sem transporte aos serviços essenciais no centro de Portugal. A nossa ambição é ligar toda a região do Médio Tejo”, explica Anabela Freitas, presidente do Conselho Intermunicipal da CIM do Médio Tejo. “O nosso projeto converge com os objetivos de desenvolvimento e coesão fixados pela Comissão Europeia para uma sociedade mais inclusiva, mais sustentável e mais justa na Europa. Projetos como o Transporte a Pedido provam que é possível criar soluções inovadoras e economicamente viáveis que combinam sustentabilidade e inclusão. Este projeto, no qual iremos continuar a investir, só foi possível graças ao apoio da União Europeia”, acrescenta. 

Para usarem o Transporte a Pedido os cidadãos devem proceder à marcação prévia da sua viagem através de um pedido de reserva telefónica ou online. A reserva deve ser feita até às 15h00 do dia anterior ao dia da viagem. O contacto pode ser feito por chamada gratuita para o 800 209 226 (disponível aos dias úteis das 09h00 às 15h00), ou através da plataforma online. No dia da viagem, basta que o cidadão se desloque a uma das muitas paragens do Transporte a Pedido que se encontram espalhadas por toda a região e aí aguardar pelo respetivo serviço de transporte.

O projeto português Transportes a Pedido, concorre na sua categoria contra outros 4 projetos. O público pode agora votar no seu projeto favorito e eleger o vencedor da categoria Public Choice Award. A votação para eleger os vencedores está neste momento a decorrer online até dia 15 de novembro. 

Para votar, basta aceder à página do Regiostars 2021, selecionar a categoria e escolher o projeto em que se pretende votar. A votação é validada clicando sobre o coração que se encontra no canto superior direito de cada um dos projetos.

O projeto Transporte a Pedido foi cofinanciado pelo FEDER através do Programa Operacional Regional do Centro.