fbpx

Green Future-AutoMagazine

O novo portal que leva até si artigos de opinião, crónicas, novidades e estreias do mundo da mobilidade sustentável

GFAM

Ford testa furgões a hidrogénio no Reino Unido

A Ford Motor anunciou que irá testar uma pequena frota dos seus furgões elétricos E-Transit equipados com pilhas de combustível a hidrogénio, no Reino Unido, para verificar a sua viabilidade como opção para o transporte de mercadorias em distâncias longas.

O fabricante norte-americano lidera um consórcio que inclui a BP, responsável pelo fornecimento de hidrogénio e pela infraestrutura de abastecimento, e ainda a Ocado, cadeia britânica de supermercados online e tecnologia.

O projeto, que terá a duração de três anos, é parcialmente financiado pelo Advanced Propulsion Center, organização sem fins lucrativos que gere um fundo de investimento em tecnologias de mobilidade sustentável, estabelecido conjuntamente pelo governo britânico e pela associação britânica de fabricantes automóveis.

“A Ford acredita que a principal aplicação de pilhas de combustível poderá acontecer nos seus maiores e mais pesados veículos comerciais, de forma a garantir que são livres de emissões, ao mesmo tempo em que satisfazem as altas exigências diárias de energia que nossos clientes exigem”, declarou o presidente da Ford no Reino Unido, Tim Slatter.

Tripla aposta da Mazda no ECar Show

A Mazda anunciou que irá estar presente no ECar Show – Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico, com três propostas eletrificadas: o 100% eléctrico MX-30 e-Skyactiv EV, o novo CX-60 e-Skyactiv PHEV e o urbano Mazda2 Hybrid. O maior evento dedicado à mobilidade sustentável da realizado em Lisboa tem lugar, este ano, nos pavilhões da Feira Internacional de Lisboa (FIL), no Parque das Nações, entre sexta-feira (12 de maio) e domingo (14).

São quatro os Concessionários Mazda envolvidos nesta ação: AutoSueco Automóveis, Oneshop, Santogal e Xanauto, que vão apresentar ao público do certame – mais de 10.000 visitantes na edição anterior – três das mais recentes propostas do catálogo da marca, que apontam “ao futuro mais imediato do setor automóvel na Europa”.

“É por demais importante a presença da Mazda nestes certames, pela crescente importância da temática da eletrificação, e pelo modo como podemos espelhar a nossa completa presença com produtos diferenciados, adequados aos patamares da mesma”, refere Ana Penteado, diretora de Marketing da Mazda Motor Portugal. “Depois de há um ano termos concentrado a nossa aposta no MX-30 100% elétrico, decidimos, para esta edição, juntar-lhe duas outras propostas, o novo topo-de-gama CX-60 PHEV e o bem-sucedido Mazda2 Hybrid, numa abrangente proposta de modelos, direccionados a diferentes segmentos”.

Entre as ações previstas pela Mazda no ECar Show estão os habituais test-drives, que os visitantes podem realizar, pelos percursos desenhados nas imediações do espaço, permitindo-lhes um primeiro contato dinâmico com os modelos que a marca japonesa vai levar à FIL.

Em grande destaque estará o Mazda CX-60 PHEV, o SUV topo de gama que é, também, a primeira proposta da Mazda no domínio plug-in híbrido. Criado pelos designers japoneses sob o conceito ‘Crafted in Japan‘, para desacar “as suas origens e o cuidado artesanal com que é concebido”, este é o modelo de estrada mais potente alguma vez produzido pela Mazda – 241 kW (327 cv) de potência e binário de 500 Nm. Combina uma versão modificada do bloco de quatro cilindros Skyactiv-G de 2,5 litros, a gasolina e injecção direta, com um motor elétrico de grandes dimensões (129 kW) e uma bateria de iões de lítio de 355 V e 17,8 kWh).

A arquitectura inclui um sistema de tracção integral e uma também nova caixa automática de 8 velocidades, que a marca garante conferir-lhe “um carácter desportivo sem precedentes, num conjunto sublimado por uma ampla gama de tecnologias, grande parte delas direccionadas ao condutor e ao processo de condução”. Conta com 60 km de autonomia no modo elétrico (até 100 km/h) e cumpre o sprint 0-100 km/h em 5,8 segundos, com uma velociade máxima limitada a 200 km/h.

O segundo modelo que a Mazda vai levar a esta edição do ECar Show é o o Mazda MX-30 e-Skyactiv EV, o primeiro modelo elétrico a bateria do fabricante nipónico. A atual geração que estará presente no evento inclui já evoluções de conteúdo, ao nível dos carregamentos: solução trifásica de 11 kW e redução do tempo de carregamento rápido DC, com uma carga máxima de 50 kW; em cerca de 26 minutos.

Mecanicamente, conta com um propulsor e-Skyactiv, que combina um motor 100% eléctrico com uma bateria de iões de lítio de 35,5 kWh, gerando uma potência máxima de 107 KW (145 cv) e um binário máximo de 270,9 Nm, para um consumo energético de 17,9 kWh/100 km. Acelera dos 0 aos 100 km/h em 9,7 segundos e tem uma autonomia de 200 km (265 km no ciclo WLTP urbano).

Finalmente, a última proposta é o inédito citadino Mazda2 Hybrid, que conta com um motor de três cilindros a gasolina, com 1.490 cc e 68 kW (93 cv), acoplado a um motor elétrico de 59 kW, gerando uma potência combinada de 85 kW (116 cv). 100% híbrido, acelera dos 0 aos 100 km/h em 9,7 segundos e atinge 175 km/h de velocidade máxima.

A Mazda destaca a Certificação de 5 estrelas Euro NCAP obtida pelos três modelos que levará à FIL no próximo fim de semana.

BYD, Ford Explorer e elétrico impresso em 3D entre as novidades do ECar Show 2023

É já nos próximos dias 12, 13 e 14 de maio que a Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações, vai acolher a quinta edição do ECar Show – Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico.

Como já tem vindo a ser hábito no mês de maio, Lisboa recebe assim o seu maior certame ligado à mobilidade descabronizada e sustentável, um palco privilegiado para conhecer as novidades do setor, bem como um espaço de discussão sobre os temas mais atuais.

O XEV Yoyo é um dos automóveis que promete ficar na memória dos visitantes do ECar Show. O pequeno citadino italiano 100% elétrico destaca-se pela particularidade de ser produzido em apenas três dias, com recurso à tecnologia de impressão 3D. Foi recentemente apresentado em Paris e fará agora a sua estreia absoluta em Portugal.

A BYD, que anunciou recentemente a sua entrada no mercado nacional pela mão do Grupo Salvador Caetano, leva ao ECar Show os três modelos 100% elétricos que tráz para o país: o C-SUV Atto 3, o SUV de 7 lugares e tração integral Tang e o sedan desportivo Han.

Os visitantes do ECar Show terão ainda a possibilidade de conhecer o novo Ford Explorer, que a marca norte-americana vai apresentar ainda sob a forma de maquete, uma vez que o modelo ainda não se encontra no mercado.

Aqueles que se deslocarem à FIL no próximo fim-de-semana podem ainda experimentarem vários dos modelos em exposição, na área de test drives do evento.

Os bilhetes para o ECar Show podem ser adquiridos a preço promcional até ao dia 11 de maio através do website do certame.

Hyundai Ioniq 6 já está à venda

A Hyundai anunciou que o Ioniq 6 está disponível para venda em Portugal desde a semana passada. Depois do Ioniq 5 lançado em 2022, este segundo modelo da submarca dedicada exclusivamente aos veículos elétricos destaca-se, nas palavras do fabricante sul-coreano, pelo seu nível tecnológico e pela autonomia elevada.

O Hyundai Ioniq 6, que a marca chama de Electrified Streamliner, é construído sobre a sua Plataforma Modular Global-Elétrica (E-GMP). Apresenta-se com uma distância entre eixos de 2.950 mm, com jantes de 18 polegadas, e um comprimento total de 4.855 mm, 1.880 mm de largura e 1.495 mm de altura, que a Hyundai garante conferir “uma aparência distinta e elegante”, com uma silhueta aerodinâmica – coeficiente aerodinâmico de 0,21 – e linhas minimalistas.

Tal como o modelo que o precede, tem nas ‘luzes pixelizadas’ – que a Hyundai denomina “Pixéis Paramétricos” – uma das principais marcas da sua identidade de design: integra mais de 700, em diferentes pontos do veículo, como faróis, luzes traseiras combinadas, sensores inferiores dianteiros, saídas de ventilação e o indicador de consola central.

É capaz de percorrer até 777 km com uma carga completa de bateria (ciclo WLTP urbano) e possui capacidade de carregamento ultrarrápido de 800 V, que permite carregar 80% do total da bateria em 18 minutos. É também compatível com a fonte de alimentação de 400 V e com a fonte de alimentação de corrente alternada.

A bateria de 77 kWh é opção única, emparelhada com um ou dois motores. A versão monomotor, de tração traseira, apresenta-se com uma potência de 168 kW (228 cv); a versão de tração integral disponibiliza 430 kW (325 cv).

Interior como um “casulo”

De acordo com a Hyundai, o interior do Ioniq 6 foi especialmente desenvolvido para servir como um habitáculo confortável e acolhedor, destacando características como a sustentabilidade e a resistência dos materiais escolhidos.

A marca explica que, desde o início do seu desenvolvimento, o interior do Ioniq 6 foi criado para ser um “Espaço Vivo” e romper com a visão estereotipada do carro como um simples meio de transporte: funciona simultaneamente como “um refúgio confortável, semelhante a um casulo”, e como um espaço onde os utilizadores podem trabalhar, descansar e “desfrutar de tempo de qualidade”.

A plataforma E-GMP possibilita a criação de uma primeira fila mais ampla, um piso totalmente plano, juntamente com a remoção de botões das portas da frente, com o objetivo de tornar o espaço mais leve e criar espaço de armazenamento adicional. A consola central foi concebida para suportar um portátil e inclui duas portas USB-C e uma porta USB-A, para alimentar vários dispositivos. Sob os bancos da segunda fila existe ainda uma ficha V2L (Vehicle-to-Load) de 110 V/220 V, que pode fornecer até 3,6 kW de potência.

A Hyundai garante que a distância entre eixos e o piso plano do Ioniq 6, fazem com que os bancos traseiros sejam “tão espaçosos e confortáveis” como os bancos da primeira fila. Estes últimos, por sua vez, especificamente fabricados para veículos totalmente elétricos, são aproximadamente 30% mais finos do que os dos modelos convencionais, proporcionando mais espaço no interior do habitáculo.

A Iluminação Ambiente selecionável em dois tons permite aos utilizadores escolherem entre um leque de 64 cores e seis temas pré-selecionados, desenvolvidos por especialistas.

O painel modular de ecrã tátil do Hyundai Ioniq 6 integra um ecrã de infotainment de 12” e um cluster digital, também de 12”. O sistema de infotainment fornece, em tempo real, um mapa visual da viagem com base no estado atual da bateria, aliado ao sistema que permite ajudar a procurar e planear a melhor rota, de forma a incluir postos de carregamento ao longo do percurso.

Além de compatibilidade com Apple CarPlay e Android Auto, está também disponível um suporte multiconexão Bluetooth, permitindo o emparelhamento simultâneo de dois dispositivos – um para chamadas e outro para transmissão de música. Suporta ainda atualizações remotas (OTA) de software.

Segurança

A Hyundai destaca que, em 2022, o Ioniq 6 liderou o segmento EV do Euro NCAP, tendo sido classificado como o ‘Melhor na sua Classe’ na categoria de ‘Grande Familiar’. Está equipado com sete airbags de série, incluindo um airbag central do banco do condutor para segurança passiva adicional.

Está equipado com o Sistema Avançado de Assistência à Condução Hyundai Smart Sense, que inclui o Assistente à Condução em Autoestrada (HDA 2), que ajuda a manter distância e velocidade definidas do veículo dianteiro e que auxilia o condutor a manter o veículo no centro da faixa de rodagem –condução autónoma de Nível 2.

O Cruise Control inteligente (NSCC) ajuda a manter a distância do veículo dianteiro e a conduzir a uma velocidade definida pelo condutor. A tecnologia usa também as informações rodoviárias do sistema de navegação para o apoio à condução e ajusta a velocidade para uma condução segura em curvas e cruzamentos.

Em Portugal o Hyundai Ioniq 6 está disponível em duas versões, Premium e Vanguard, a partir de 59.390 euros, com as pirmeiras entregas a acontecerem já durante este mês. O modelo mantém a garantia da marca de sete anos sem limite de quilómetros, oito anos de garantia da bateria ou 160.000 km de garantia da bateria, sete anos de assistência em viagem e sete anos de diagnósticos anuais gratuitos.

BYD chega a Portugal pela mão do Grupo Salvador Caetano

O Grupo Salvador Caetano anunciou que é, a partir de hoje, o representante da BYD em Portugal. O lançamento oficial da marca chinesa no mercado nacional terá lugar durante o mês de maio, com a introdução dos três modelos da gama que tem vindo a apresentar na Europa.

O modelo de entrada na gama BYD é o Atto 3, um crossover compacto “com design europeu moderno”. É o primeiro SUV a ser construído na e-Platform 3.0 da empresa chinesa e apresenta-se com uma bateria de 60,5 kWh, para uma autonomia WLTP de 420 km (565 km no ciclo WLTP urbano), e acelera dos 0 aos 100 km/h em 7,3 segundos. Obteve classificação de cinco estrelas nos testes de segurança Euro NCAP.

O BYD Tang é um SUV familiar de 7 lugares, que a marca chinesa afirma ter um interior high-tech “com elegância refinada”. De tração integral, acelera dos 0 aos 100 km/h em 4,6 segundos e percorre 400 km com uma carga de bateria (528 km no ciclo WLTP urbano).

A gama é completada pelo Han, que a BYD apresenta como “um sedan elétrico premium com um interior luxuoso”. Também de tração integral, os dois motores elétricos têm uma potência combinada de 380 kW (516 cv), que o levam a cumprir o ‘sprint clássico’ em 3,9 segundos. A autonomia no ciclo WLTP combinado é de 521 km (662 no ciclo WLTP urbano).

Os modelos com que a BYD se apresenta em Portugal: o Atto 3, o Tang e o Han.

Os três modelos utilizam a tecnologia Blade Battery desenvolvida pela BYD.

Em junho, deverá chegar o hatchback compacto BYD Dolphin, seguindo-se, em setembro, o BYD Seal, um sedan que se apresenta com tração traseira ou integral, a última com uma potência de 390 kW (531 cv).

“Estamos entusiasmados por apresentar a nossa gama de viaturas elétricas e tecnologia EV líder mundial, a todos os consumidores portugueses. Alternativas novas e inspiradoras para a mobilidade elétrica que contribuem ativamente para redução das emissões de CO2. É um honra iniciar esta jornada em Portugal com um parceiro tão experiente e respeitado como o Grupo Salvador Caetano. Juntos, forneceremos um apoio profissional e atencioso nos serviços de venda e após-venda através de uma rede local de concessionários que, partilham a nossa ambição de proporcionar a melhor experiência ao cliente”, declarou Michael Shu, diretor-geral e executivo da BYD Europa e da Divisão de Cooperação Internacional.

O Dolphin e o Seal deverão estar disponíveis durante o verão.

Por seu lado, Sérgio Ribeiro, membro do conselho de administração da Salvador Caetano Auto, referiu: “Esta parceria reforça a estratégia e aposta do Grupo Salvador Caetano na eletrificação e transição para a mobilidade ecológica. Estamos certos de que contribuiremos para o crescimento da marca e para uma mobilidade mais sustentável, com uma rede altamente qualificada e 70 anos de experiência na indústria e setor automóvel. A liderança, a inovação tecnológica e a forte aposta em Investigação e Desenvolvimento presentes no ADN da BYD, são fatores diferenciadores e que tornam esta marca tão interessante para os consumidores portugueses”.

CUPRA apresenta o SUV Tavascan

A CUPRA acaba de lançar oficialmente o Tavascan, simultanemente o seu primeiro SUV elétrico, o seu segundo automóvel elétrico a bateria, e o seu terceiro modelo próprio, depois de se ter ‘autonomizado’ como ramo independente da SEAT.

Apresentado pela marca espanhola como “o primeiro herói de uma nova era” e um automóvel que “combina desejo com performance instantânea”, o CUPRA Tavascan foi inicialmente revelado, como um concept car, na edição de 2019 do Salão Automóvel de Frankfurt.

Produzido com base na plataforma MEB do Grupo Volkswagen, chega ao mercado com duas opções de motorização: uma versão de tração traseira, equipada com um motor de 210 kW (286 cv) e 545 Nm; e uma segunda versão com tração integral – denominada Tavascan VZ – que acrescenta um motor de 80 kW e 134 Nm no eixo dianteiro, para uma potência total de 250 kW (350 cv).

Esta versão mais potente acelera dos 0 aos 100 km/h em 5,6 segundos (0-50 km/h em 2,4 segundos). A velocidade máxima é limitada, nas duas versões, a 180 km/h.

A estas duas opções de motorização juntam-se as duas opções de bateria já conhecidas do CUPRA Born (e do seu ‘primo’ Volkswagen ID.3): de 58 kWh e 77 kWh. A bateria de maior capacidade permite autonomias (WLTP) de 550 km e 520 km, respetivamente nas versões com um e dois motores elétricos.

As credenciais desportivas que são a imagem de marca da CUPRA são reforçadas, no Tavascan, pela tecnologia de chassis dinâmico DCC Sport, suspensão desportiva e direção progressiva, atributos que a marca afirma proporcionarem uma experiência de condução “única”, complementada pelos os pneus de elevada performance instalados nas jantes de liga leve de 21”.

A CUPRA afirma também que o Tavascan é “o impulso para uma nova e marcante linguagem de design” da marca. No exterior, além das “proporções atléticas e desportivas” e das preocupações aerodinâmicas, a marca espanhola destaca a assinatura visual de três triângulos – uma desconstrução do seu emblema – dos faróis dianteiros de matriz LED.

Dentro do habitáculo, o destaque vai para a ‘espinha dorsal’, uma peça estrutural que une o corpo da consola ao tablier, servindo de base à arquitetura interior “não convencional” do Tavascan. Os bancos desportivos, de série, utilizam materiais reciclados e o ecrã central flutuante de 15″ do sistema de infotainment é o maior de sempre num modelo da CUPRA.

O CUPRA Tavascan também integra um Human Machine Interface (HMI) concebido com o objetivo de otimizar o sistema de infotainment, e um sistema de som com 12 altifalantes desenvolvido em colaboração com a empresa Sennheiser.

Quanto aos sistemas de segurança e apoio à condução, a CUPRA assinala a nova versão do Connected Travel Assist, que melhora o desempenho do sistema através dos dados recebidos da Cloud, especialmente em estradas mal sinalizadas. Está também disponível o sistema de mudança automatizada de faixa e funcionalidades avançadas de apoio ao estacionamento, incluindo assistência ao estacionamento remoto (RPA).

O CUPRA Tavascan será produzido na fábrica do Grupo Volkswagen em Anhui, na China. Chega ao mercado em 2024, com um objetivo de vendas superior a 70.000 unidades por ano.

Carregamentos de veículos elétricos na rede Galp disparam 60%

A Galp registou 196.413 carregamentos de veículos elétricos na sua rede no primeiro trimestre de 2023, um aumento de 60% face ao período homólogo. No decurso do ano de 2022, a rede de carregadores da Galp registou um recorde de mais de 600 mil carregamentos.

De acordo com a empresa, para esta tendência de crescimento tem contribuído de forma decisiva a expansão da rede de pontos de carregamento, com projetos de investimento que visam um objetivo global de 10 mil pontos em Portugal e Espanha até 2025. A Galp procura assim antecipar a tendência de rápido crescimento deste mercado: a Agência Internacional de Energia estima que a procura de veículos elétricos aumente 35% em 2023, atingindo um total de 14 milhões de unidades em todo o mundo.

A rede Galp opera neste momento mais de 2.600 pontos de carregamento, com uma capacidade instalada de 45 MW. Até ao final de 2023, a empresa espera ter instalados 5.000 pontos em Portugal e Espanha, para um total de dez mil em 2025 na Península Ibérica.

Com vários investimentos atualmente em curso, a Galp destaca as novas localizações em Vilamoura e Santa Maria da Feira, com carregadores e que irão acrescentar um total de 126 pontos de carregamento na rede da empresa.

Dividido em duas fases de desenvolvimento, o projeto de Vilamoura tem já em operação 9 localizações com carregador ultrarrápido duplo de 100 kW, o que se traduz em 18 pontos de carregamento a servirem o mesmo número de lugares de estacionamento. O projeto prevê ainda a construção, até janeiro de 2024, de mais 10 localizações com este tipo de carregadores. Os 38 pontos de carregamento que estarão então em operação farão de Vilamoura a localidade com a maior densidade de pontos de carregamento ultrarrápidos do país em domínio publico.

Em Santa Maria da Feira, o projeto em desenvolvimento resulta de uma concessão municipal que prevê 44 localizações: 40 carregadores normais (22 kW) e 4 carregadores rápidos (50 kW). Em operação estão já 13 localizações, prevendo-se que, quando terminada a construção, esta concessão disponibilize 88 pontos de carregamento no município, com uma dispersão geográfica que cobre todas as freguesias do concelho nortenho.

Segundo o comunicado da Galp, os investimentos na região não metropolitana de Santa Maria da Feira, com vários carregadores instalados em contexto não urbano, e na zona de Vilamoura, fortemente marcada pela sazonalidade, refletem a aposta da empresa na disseminação de uma infraestrutura de carregamento por toda a extensão do território nacional, de forma a que a carência de equipamentos de carregamento não seja um obstáculo para a adoção generalizada de soluções de mobilidade eletrificadas.

Kia inicia construção de fábrica de veículos elétricos para fins específicos

A Kia lançou oficialmente a sua fábrica exclusivamente dedicada à produção de veículos elétricos a bateria para fins específicos (Purpose Built Vehicle, PBV). A nova unidade de produção em Hwaseong, província de Gyeonggi, na Coreia do Sul.

A Kia vai investir cerca de um bilião de won (cerca de 685 milhões de euros) para garantir 40 mil hectares de terreno para instalar a fábrica, onde prevê iniciar a produção em série no segundo semestre de 2025. A empresa planeia fabricar 150 mil unidades no primeiro ano completo, com potencial de expansão, em função das condições futuras do mercado. 

A marca coreana declara que a nova fábrica de PBV será construída como uma unidade de produção amiga do ambiente, que aplica tecnologias de fabrico inovadoras e de vanguarda, visando a redução das emissões de carbono. Irá igualmente adotar um conjunto de tecnologias que inclui sistemas de produção digital, através das E-FOREST technologies, um ecossistema de fábrica que procura obter inovação nos métodos de fabrico através do estabelecimento de uma ligação orgânica entre todos os elementos, com vista a assegurar mais valor para o consumidor.

A Kia explica que um dos processos de fabrico inovadores a implementar na nova fábrica de PBV é designado por ‘método celular’ (ou ‘de célula’), que permite a produção de viaturas com base nas diferentes exigências dos clientes. A metodologia consiste numa estratégia de disposição de processos que agrupa máquinas ou estações de trabalho utilizadas para fabricar produtos ou peças semelhantes. A finalidade é criar um processo de fabrico mais eficiente e flexível, reduzindo a distância que os materiais e produtos têm de percorrer durante a produção. Com o método celular, as máquinas são dispostas de forma a otimizar o fluxo de materiais e produtos entre as estações de trabalho, tendo como objetivo minimizar o tempo de inatividade, reduzir os custos e aumentar a produtividade.

O sistema de produção desta fábrica de PBV unifica o método celular com o sistema tradicional de transporte na produção em série, permitindo, segundo a Kia, um fabrico flexível e com um maior nível de personalização de vários tipos de produtos.

A fábrica será construída com vista à diminuição das emissões de carbono. Por exemplo, o processo de pintura é realizado numa cabina seca e com aproveitamento de luz natural, reduzindo as emissões de carbono em cerca de 20% comparativamente aos processos tradicionais. O nível de ruído será também reduzido.

A Kia destaca ainda a automação dos processos de instalação de componentes com recurso a aprendizagem de máquina e inteligência artificial (IA), da inspeção da qualidade da pintura sob o veículo e da instalação de peças (tais como vidros, designação do modelo e logótipo da marca). A análise de dados da qualidade será avaliada automaticamente e em tempo real para, caso necessário, corrigir de forma autónoma e imediata a carroçaria do veículo.

Com base no trabalho desenvolvido em Hwaseong, a Kia planeia mostrar o primeiro modelo da gama específica de PBV, denominado SW (designação de projeto): um PBV de tamanho médio construído com base na plataforma de tipo skate ‘eS’, exclusiva para PBV elétricos a bateria, que a marca coreana garante oferecee versatilidade para produção de vários tipos de carroçarias.

O SW foi desenvolvido para responder a diversas exigências comerciais, tais como entregas, viagens e transações business-to-business (B2B), graças à sua estrutura de carga e espaço interior que pode atingir a altura de um adulto.

Após o lançamento do PBV SW de tamanho médio, a Kia planeia expandir a sua gama de produtos para PBV de grandes dimensões, que poderão ser utilizados para logística, entrega de alimentos frescos, autocarros com vários lugares e escritórios e lojas móveis, bem como PBV de pequenas dimensões e robotáxis de médias dimensões equipados com tecnologia de condução autónoma.

ECar Show muda-se para a FIL

A Feira Internacional de Lisboa, no Parque das Nações, vai acolher a quinta edição do ECar Show – Salão do Automóvel Híbrido e Elétrico, que terá as portas abertas ao público durante três dias, entre 12 e 14 de maio (sexta-feira a domingo)

O ECar Show tem vindo a configurar-se como o mais completo evento dedicado exclusivamente à mobilidade descarbonizada realizado na capital portuguesa, abrangendo virtualmente a totalidade da oferta de automóveis eletrificados no mercado nacional.

Depois de quatro edições consecutivas de crescimento, o número de marcas expositoras confirmados no ECar Show 2023, bem como as previsões a nível do número de visitantes, obrigaram a organização a optar por um espaço de maiores dimensões. A edição do ano passado, realizada no Centro de Congressos de Lisboa (antiga FIL), contou com mais de 40 marcas expositoras e recebeu cerca de 10.000 visitantes.

“O mercado da mobilidade descarbonizada está a crescer a olhos vistos. Em 2022, os automóveis híbridos, híbridos plug-in e elétricos representavam já cerca de um quinto da totalidade do mercado, e um em cada dez veículos vendidos foi 100% elétrico. 2023 começou também muito bem e os números divulgados pela ACAP apontam para um crescimento de quase 135% face ao mesmo período do ano passado. Isso acontece também com as marcas, cuja oferta cresce – quer em extensão, quer em profundidade – nas suas gamas elétricas e eletrificadas, ou até mesmo com o reforço, por exemplo, no hidrogénio. E, por isso, tivemos que acompanhar esta tendência e dotar o ECar Show de um espaço mais amplo e cómodo para o público, que é também cada vez mais e mais exigente”, explicou José Oliveira, diretor do certame.

Além dos modelos comercializados pelas diferentes marcas automóveis, os visitantes do ECar Show podem também conhecer outro tipo de veículos — bicicletas, motociclos, etc. –, bem como vários produtos e serviços dedicados à mobilidade.

Como é habitual, a edição deste ano inclui ainda um conjunto diversificado de atividades paralelas: além de várias palestras e workshops sobre transportes e mobilidade, os visitantes têm ainda a oportunidade de realizarem test drives de vários dos modelos em exposição.

Os bilhetes estão à venda e podem ser adquiridos a preço promcional até ao dia 11 de maio através do website do certame.

O ECar Show 2023 conta com a Prio como patrocinador principal e com o Piscapisca.pt como portal oficial. A UVE – Associação de Utilizadores de Veículos Elétricos e o ACP – Automóvel Club de Portugal são também parceiros do evento.

Carregado de saudades: ao volante do Peugeot e-2008

Texto de Jorge Farromba

A nossa vida é carregada de momentos e, muitas vezes, de lembranças do passado. E foi isso que me aconteceu quando conduzi o e-2008, o B-SUV da Peugeot.

Quando era pequeno folheava a L’Automobile e, não entendendo absolutamente nada de francês, deliciava-me a ver as imagens, a ler os textos – na esperança de ir compreendendo, pois na escola iria ter esta disciplina – mas também para aprender algo sobre automóveis e, nessa minha juventude (p.s. o tempo passou rápido!!) a Peugeot cavalgava sucessos no mundo automóvel: no Dakar, em Pikes Peak, nos Ralis….

Também me recordo, quando entrei para a TAP, que um dos meus colegas – o Carlos – que mais tarde se tornou amigo, tinha comprado o fantástico 205 Cabriolet. E este tinha um desenho cativante que marca também uma história da Peugeot.

Portanto, a Peugeot estava colada na minha pele porque era o modelo que conseguiu criar uma envolvência com o consumidor, fruto de um desenho apelativo e de uma época em que a França exportava automóveis de grande qualidade.

E a Peugeot soube transportar todas estas memórias para a atualidade conseguindo criar o 206, que seria uma evolução do 205 também com amplo sucesso.  Eis-nos chegados ao momento atual onde a marca tem de se atualizar e apresentar uma nova linha, um novo rumo, uma nova filosofia e, para isso, socorre-se de um visual novamente cativante, aguerrido, desportivo, conotando-a com o seu logótipo.

E este B-SUV é um exemplo disso mesmo, onde a frente alta se destaca pela sua grelha imponente, pela sua linha estilística aguerrida, impactante e, acima de tudo, pela desportividade. Atrás, o modelo mantém a tónica: minimalista e cativante. A própria cor da versão de ensaio realça ainda mais o seu caráter desportivo.

O interior do e-2008 surge marcado claramente pelo i-cockpit 3D, com o seu desenho futurista mas, fundamentalmente, com boa legibilidade e usabilidade. Seguindo a linha da marca, o volante é de pequena dimensão recortado nos topos. Ao longo do habitáculo destacamos os vários plásticos, quase todos moles, com boa qualidade construção e montagem, onde sobressai a ergonomia do conjunto.

Como modelo do segmento B o e-2008 também se destaca pela superior habitabilidade à frente, mas principalmente atrás.  

Mas um dos motivos de interesse era perceber como é que esta experiência de condução alargada e a qualidade de vida a bordo do Peugeot se conjuga com uma motorização elétrica que, segundo a marca, pode atingir os 345 km de autonomia, suportados pelos 136 cv desta unidade. O e-2008 arranca com três modos de condução: Eco, Normal e Sport – todos a funcionarem de modo simples, prático e intuitivo.

As primeiras impressões que ficam referem-se a uma condução envolvente, uma direção muito direta, suportada por um chassis que lhe garante um comportamento e uma dinâmica de condução que, diria, bebe muito da experiência da marca em competição, conjugando conforto com dinâmica de condução.

E é baseado nisto que as viagens, principalmente em cidade, se fazem de um modo muito prático e onde nos esquecemos claramente da autonomia: no meu caso pessoal, consegui andar quase uma semana com ele e, quando o entreguei ainda tinha 150 km de autonomia, sendo que as viagens foram muitas e, nalguns casos, para fora de Lisboa, tendo ficado com a noção que o sistema de regeneração se encontra muito bem parametrizado. Também não detetei, ao nível do software, qualquer bug ou falso positivo.

E é também por isso que este modelo tem sido um dos elementos-chave para o sucesso de vendas que a marca tem tido na Europa e fundamentalmente em Portugal.

O preço do Peugeot e-2008 elétrico inicia-se em 32.470 euros, chegando até aos 37.000 euros na versão ‘gt’.

Jorge Farromba é IT Project Manager na TAP Air Portugal